quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Gold Leaf...

Temporada de 1970...

GP de Mônaco - circuito de Monte Carlo...

Lado a lado as Lotus 49C e 72A - criações do genial Colin Chapman...

6 comentários:

Anônimo disse...

Olá amigos,
A vitória foi de Karl Jochen Rindt, pilotando um Lotus. Mas qual deles? Alguns sites ingleses dão a vitória a bordo do Novíssimo 72, o qual havia sido testado 2 semanas antes deste GP na Inglaterra, e vê-se, na foto, o numeral 2T, que, em tese, seria o reserva. Mas a confirmação é de que a vitória foi a bordo do 49C. Vale ainda comentar, no comparativo da foto entre os dois modelos, o sistema de escapamento 8x2 bem comprido e voltado para cima do 49. Na época, muito se testavam os comprimentos x diâmetros da tubulação para melhor exaustão sem perda da potência comprimida na flutuação. Vale ainda lembrar que Colin testou o 49C com aerofólio traseiro diretamnente fixado na suspensão, recebendo duras críticas. A exclusividade no 72 é a adoção dos freios dianteiros on board e radiadores traseiros. A evolução técnica entre os dois modelos da foto é flagrante.
luizborgmann

Por Dentro dos Boxes disse...

Luiz,

pelos registros Rindt usou o 49C nesta prova...

parabéns pelas considerações técnicas - sempre enriquecendo o post...

abs...

Anônimo disse...

André,

a rigor não existe modelo 72A.... seria apenas 72.

Há um piloto encostado na mureta (à direita) que certamente é o John Miles, o segundo piloto da Lotus à época.
Em Mônaco 1970, o carro reserva - número 2T, na foto - era de Miles e era um modelo 72B.


Aliás, o modelo 72, lançado em 1970 e estreado no GP da Espanha, dispunha de 2 dispositivos que auxiliavam a manutenção da altura do carro em freadas e/ou acelerações.
Para ebitar que a frente do carro afundasse (ou mergulhasse) em freadas, Maurice Philippe e Colin Chapman introduziram o "anti-dive".
E para evitar que a traseira do carro abaixasse (ou agachasse) em acelerações, introduziram o "anti-squat".

Segundo Philippe, os pilotos conseguiam bons tempos de volta tanto com como sem os tais dispositivos. Talvez por estarem acostumados a pilotar carros sem dispositivos assim, os pilotos não conseguiam ser constantes com o modelo 72. Miles, por exemplo, nem se qualificou para o GP espanhol (se bem que os critérios para aquela "qualificação" foram bem bagunçados!).

Depois de um começo não tão promissor, o Team Lotus resolveu alterar os dois carros (modelo 72) produzidos até então.

Para o carro de Jochen Rindt (chassis 72/R2), foram retirados o "anti-dive" e o "anti-squat". Para o carro de Miles (chassis 72/R1) apenas o "anti-squat" foi retirado. E, segundo as designações internas da Lotus, o carro sem ambos os dispositivos recebeu o nome de 72C; o outro, com apenas o "anti-dive", recebeu o nome de 72B.


O modelo 72D só veio em Mônaco, em 1971, e trazia uma modificação na suspensão traseira...
O 72E veio em 1972, como uma modificação estrutural nos sidepods...
O 72F, foi introduzido em 1975, com modificações na suspensão traseira (novamente)...

Nada mal para um projeto de 1969!



Mais detalhes aqui:
==>> http://www.grandprixhistory.org/lotus72.htm
==>> http://8w.forix.com/72tech.html



um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

OPS!! Em tempo!

Monaco 1970, John Miles, carro reserva "2T", modelo 72 (e não um 72B!)


outro abraço,
Renato Breder

Por Dentro dos Boxes disse...

Breder,

grato pela preciosa colaboração - mais uma vez né... hehehe...

abs...

Anônimo disse...

a lotus foi a pioneira em estampar as cores de um patrocinador em seus carros e que por sinal eram bonitos

marconni