terça-feira, 10 de outubro de 2017

Skol...

Temporada de 1980...

GP do Oeste dos EUA - circuito de Long Beach...

O finlandês Keke Rosberg (Skol Fittipaldi Team - Fittipaldi F7 - motor Ford Cosworth DFV V8 3.0 - pneus Goodyear) à frente de David Kennedy - Shadow DN11 durante a disputa do GP norte-americano...

22º colocado no grid de largada, Rosberg foi galgando posições até atingir o 7º posto no giro #51 da prova. Ali se manteve até que na volta #58 foi traído pela quebra do motor forçando seu abandono...

O Fittipaldi F7 foi um projeto de Harvey Postlethwaite cujo 'DNA' de origem está no Wolf WR9 da temporada anterior...

Emerson Fittipaldi levou seu F7 da 24ª posição de largada ao 3º posto ao final das 80 voltas... O 'rato' sabia como ninguém poupar o equipamento e este foi seu último pódio na categoria...

A vitória foi de Nelson Piquet (Brabham) com Riccardo Patrese (Arrows) na 2ª posição...

Além da vitória, Nelson Piquet foi o pole position e anotou o giro mais rápido da prova com o tempo de 01:19.830...

--> 1ª pole position e 1ª vitória de Nelson Piquet; 35º e último pódio de Emerson Fittipaldi; 100º GP de Mario Andretti; 132º e último GP de Clay Regazzoni; 21ª vitória da equipe Brabham; 3º e último pódio da equipe Fittipaldi e 127ª vitória do motor Ford Cosworth na F-1...

Foto: Kurt Oblinger

5 comentários:

Ricardo Marques disse...

Com a compra do espólio da Wolf pelos Fittipaldi, Rosberg veio junto no pacote. Como segundo piloto acabou mostrando que o Divila sempre teve razão em pedir um 2º piloto em seus primeiros anos da equipe para ter parâmetros na evolução dos carros da equipe. Mas em 1980 o Rato já estava em uma fase de pouca inspiração. Rosberg geralmente era sempre mais rápido que ele. E isso acabou por fazer com Emerson pendurasse as luvas no final do ano. Pelo menos até aquele momento.

Blog Danilo´s disse...

Num conhecia essa equipe...

walter disse...

Esse Gp foi histórico!
Desde 1976, quando Emerson entregou a McLaren para o James Hunt, não havia brasileiro com chance de vitória.
O Copersucar sempre foi mal.
Ingo Hoffman comprometeu sua carreira.
Alex Dias Ribeiro foi roubado pelo Max Mosley.
Aí o Piquet assume a Brabham, quando Lauda se enche de F1 (o video é genial entre os Brabham boys, em que Eclestone pergunta ao Lauda: "você parou por causa dele?" https://www.youtube.com/watch?v=fMsaUgXf3v4).
Seis meses depois de andar com o novo Brabham Ford, Piquet vence uma corrida!
E, incrível!!, com Emerson em terceiro no podium!
Gente, que grande alegria, inacreditável.
Emerson foi respeitoso com Piquet, o novo herói brasileiro.
E a gente aqui, feliz da vida com a novidade: Brasil no podium.

Por Dentro dos Boxes disse...

Danilo,

A equipe Fittipaldi fez sua estreia na F1 em 1975. Ficou na categoria até o final de 1982. Foi um projeto pioneiro dos irmãos Fittipaldi.

Ricardo e Walter,

boas recordações acerca do post... abs

Anônimo disse...

Uau!!
O blog voltou... e eu comendo mosca!!

Bem-vindo de volta, André... mesmo que a frequência não seja diária, como antes, que continue! E voltou com tudo... belos posts!

Já naquela época, as "redes sociais" da época detonavam a equipe Fittipaldi.
No campeonato de construtores de 1980, a equipe Fittipaldi terminou em 8o lugar. Em 9o lugar veio a McLaren e em 10o lugar a Ferrari... veja só!

A Arrows terminou com os mesmos 11 pontos da Fittipaldi mas, por melhores classificações nas corridas, terminou em 7o. E a Tyrrell, 6a colocada, terminou com apenas 1 ponto a mais que a equipe brasileira. E a Lotus terminou com 14 pontos em 5o lugar.

Ou seja, foi um resultado bom para a equipe, mas como a equipe não foi campeã, nem sequer vice-campeã, não prestava...



um abraço,
Renato Breder