terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Professor...

Temporada de 1981...

GP da Bélgica - circuito de Zolder...

Alain Prost - Renault RE30 - motor Renault EF1 v6 t - pneus Michelin...

O francês Prost, 12º no grid de largada, abandonou a prova no giro #2 com problemas na embreagem...

A vitória foi de Carlos Reutemann (Williams). Jacques Laffite (Ligier) e Nigel Mansell (Lotus) completaram o pódio...

O Pole Carlos foi Carlos Reutemann que registrou também a volta mais rápida da prova - 01:23.300...

--> 12ª e última vitória de Carlos Reutemann; 1º pódio de Nigel Mansell; 20º pódio de Jacques Laffite; 50º GP de Didier Pironi; 14ª vitória da equipe Williams; 100º GP do motor Matra e 141ª vitória do motor Ford Cosworth na F-1...

11 comentários:

Anônimo disse...

Piloto e carro com nariz bem esquisito...


um abraço,
Renato Bred4er

Adolf Schartner disse...

Linda foto.

Ron Groo disse...

O bico é bem feio né? Mas no geral este carro é lindo.

Anônimo disse...

Sendo fâ de Prost e tendo a oportunidade de seguir a sua carreira desde o seu inicio, considero que práticamente desde o meio da época de 1981 se tornou um dos eternos candidatos ás vitórias em GP até 1990. Durante 10 anos consecutivos havia sempre a possibilidade de o vencedor da corrida ser Prost. Em 1980 consegue o seu 1º ponto logo no seu GP de estreia. Foi nessa altura muito elogiado pelo feito, sendo mais num Mclaren que era em 1980 um carro mediocre. Vindo de uma geração de franceses, onde a qualidade era enorme (Pironi, Tambay, Arnoux, Jabouille, Laffite, Jarier), só mais tarde se viu que estava ali um piloto diferente. Em 1981, acaba o campeonato a somente 7 pontos de Piquet. Se levarmos em linha de conta que ao fim das primeiras 7 corridas só tinha 4 pontos, nota-se que poderia ter sido campeão se o Renault RE30 tivesse estreado mais cedo. Mas de "ses" não reza a história. Outro pormenor interessante é que em 8 anos consecutivos Prost acaba 7 desses anos nos 2 primeiros lugares do mundial. De 1983 a 1990, consegue 3 titulos e 4 vice-campeonatos. Sem dúvida que nunca foi o "bem-amado" da F1, principalmente no meu país. Lembro-me bem que quando lutou contra Piquet (por sinal seu amigo) no mundial de 1983, contra Lauda em 1984 e contra Alboreto em 1985, a imprensa portuguesa sempre elevou os seus adversários muito mais alto. Desde o Autosport ao Automundo (publicações portuguesas) os comentários eram sempre diferentes quando se falava dos outros, aqui com a ajuda eterna do sr. Domingos Piedade... As vitórias de Prost eram uma causa natural devido ao carro que pilotava...(???), as vitórias dos outros já enalteciam mais o piloto em causa…
Considero 1986 um ano excepcional. Se virmos onde Rosberg andou na grande maioria das provas, podemos dizer que o Mclaren não era grande espingarda, mas Prost esteve sempre lá na frente para poder se aproveitar das migalhas que os Williams deixassem. A sua aversão pelos erros, deu-lhe muitos frutos. Mas um GP tem 300 Kms e não 40 ou 50.
Já é por demais sabido que a sua condução quase perfeita não mexia com os adeptos de F1, fâns das derrapagens e trajéctorias nos correctores. No entanto sem essas derrapagens ele era sistematicamente mais rápido do que quem as fazia. Quanto a mim, desportivamente, deu-me muitas alegrias, como mais nenhum piloto o fez.
Fiquei deveras satisfeito com o ano de 1990. Contra todos os prógnosticos, lutou pelo titulo até ao fim, coisa que na Ferrari não acontecia desde 1983, e mesmo nesse ano, só matemáticamente Arnoux o poderia ser.
Não sou apologista da ideia que se Senna não tem feito o que fez, Prost seria campeão. Faltava ainda o GP Austrália, onde tudo poderia acontecer.
Do lado contrário, acho que 1993 foi um ano do tira-teimas. Já não tendo a rapidez de outros tempos, penso que Prost só queria provar que ainda era um verdadeiro campeão, depois do madrasto ano de 1991. Notou-se perfeitamente que na segunda metade do campeonato, o françês andava só a cumprir calendário. Não tinha mais nada a provar, e a consagração do titulo haveria de acontecer mais cedo ou mais tarde. Aconteceu aqui no nosso Estoril. Já tinha 38 anos!!! Gostei muito do seu último pódio, Austrália93. O abraço com Senna representou muito para os fâs dessa altura. Por coincidência foi também o ultimo pódio do brasileiro...

Paulo Alexandre Marques

Marcelonso disse...

André,

Olhar essa máquina me faz retornar no tempo, quando comecei a aprender sobre a F1...


abs

André Candreva disse...

Paulo,

belo relato... embora Prost não figure entre os pilotos que considero favoritos, o considero um excepcional "bota"...

abs...

TW disse...

A Renault deveria ter uma equipe na F1 até hoje.

krakinho disse...

Sorry I don't speak Portuguese, but I hope you do English.
Totally by accident (I was looking for some 80's photos of Renault F1 cars) I came across this page.
And it's great.
Thanks for it.
As for this photo I must add a correction.
Pictured is not RE20B, this is RE30.
RE20B looks pretty much like RE20 with bit different nose and paint job.
RE30 as pictured is entirely new and different car introduced after first few races of the '81. season.
Best regards from Croatia.

Por Dentro dos Boxes disse...

René Arnoux used this great prize Renault RE30 and Alain Prost used the RE20B mentioned in the photo.

hugs.

krakinho disse...

Those details I don't remember any more. Especially at this time all the information I could get about F1 was from Italian magazine Autosprint, that I could occasionally buy on one (1) newspaper stand. :-)
Anyhow I was talking about this photo.
On it is Alain Prost driving Renault RE30, not driving a RE20B as caption suggests.
Cheers

Por Dentro dos Boxes disse...

you're right ... I corrected the text ...

Thank you for your cooperation ...

hugs