segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Fora de Série: Hebmüller - o Fusca conversível

Amigos, inicio hoje uma nova série aqui no blog: os "Fora de Série". Automóveis especiais que se diferenciavam da concorrência. E o primeiro é o VW Hebmüller.

Pouco conhecido no Brasil, o Hebmüller foi concebido por um encarroçador, isto é, um profissional que criava cabines especiais para equipar as estruturas dos carros. Feito a partir de uma encomenda a Hebmüller um Söhne, os primeiros protótipos Hebmüller foram construídos em 1948.

É um modelo conversível do Fusca de apenas 2 lugares.



Uma característica bem peculiar do Hebmüller está na tampa do motor. Apesar de parecer com a tampa do porta-malas, era toda feita a mão. Os críticos queixavam-se que era difícil identificar se o carro estaria chegando ou partindo. O esquema de cores podia ser em tom único: branco, preto ou vermelho, ou ainda em dois tons, conhecido no Brasil com saia-e-blusa.

Em 23 de julho de 1949, o setor de pintura da Hebmüller foi destruído por um incêndio. A produção foi reconstruída, mas problemas financeiros resultaram no fim da empresa em 1952, sendo adquirida pela Ford tempos depois. Os números de toda a produção dos conversíveis Hebmüller não são precisos, mas a Volkswagen fala em algo em torno de 696 unidades fabricadas.

Este modelo é muito raro de se encontrar e um dos mais procurados pelos colecionadores de veículos antigos. Existem muitas réplicas por ai, até mesmo no Brasil, mas a verão original, estima-se que existam somente cerca de 100 unidades.

Logotipo Hebmüller: todos os modelos da empresa ostentavam o brasão que atestava originalidade.



Traseira diferente: apelidado de “tanto faz”, a traseira lembrava a frente por causa do capô alongado.

Réplica do Hebmüller em exposição na Romaria/Congonhas - set/2010

3 comentários:

Lucas > Congonhas disse...

Caro amigo André, brilhante matéria. Não sabia da existência desse Fusca Conversível. Muito legal.

Carlos Modesto - BH disse...

É um carro raro. Um Fusca diferente. E por essa razão torna-se um objeto a ser cultuado. Bela matéria.

Luiz Lolobrigida disse...

Realmente é um modelo muito bonito e raro até mesmo as réplicas , tenho um preto e marfim feito pela trocar capotas de Campinas é perfeito .