segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Nostalgia urbana (IX) - Aero-Willys 2600 - 1960

Quem foi Rei nunca perde a Majestade, diz o dito popular. É o que podemos dizer do Aero-Willys 2600, que reinou soberano entre os anos de 1960 a 1967 quando modelos mais modernos foram lançados. Continuou no mercado até 1972, sem tanta força, realocado, via preço, para a disputa na fatia dos médio-grandes.

E contando com a colaboração do amigo Eli do Nascimento, que é proprietário do modelo abaixo, registrei com entusiasmo este belíssimo modelo 1960, com pintura saia e blusa além do inconfundível friso lateral em forma de z. Esse modelo ficou conhecido no Brasil como Aero "bola", devido as formas "arredondadas". Criatividade brasileira.


Um pouco da história:

Os estudos para a produção do Aero Willys nacional foram iniciados em 1958 e incluíram uma série de exaustivos testes, visando melhor adequar o modelo às nossas condições. Lançado em março de 1960, o "Aero" continuava sendo objeto de contínuos melhoramentos. O primeiro Aero fabricado no Brasil tinha a carroçaria lembrando o modelo americano de 1955 importado até então, porém o motor era o utilizado nos Aeros de 1952. É interessante lembrar também que já em 52 era oferecido como opcional o câmbio "overdrive", mas que nunca foi colocado à disposição nos modelos produzidos no Brasil. Os Aeros 1955 tinham o tradicional motor 6 cilindros, porém com 115 hp. O câmbio poderia ser de 3 marchas sincronizadas com opção "overdrive" ou câmbio automático (Hidra-Matic da GM). Houve ainda outra opção de motorização, pois, os Aeros Americanos modelo 1954 chegaram a ser fabricados com motor Kaiser 226. O painel era diferente, assim como o acabamento interno.

Em 1960 o índice de nacionalização do modelo produzido no Brasil não passava de 40% e inicialmente o Aero nacional era para se chamar "BRASÍLIA". A primeira mudança ocorreu em 1962 e já representava uma etapa na realização de um carro de concepção bem nacionalizada. O modelo 62 apresentava ainda a mesma aparência básica de seu predecessor americano. O principal detalhe externo era o friso lateral reto, que no modelo americano era em Z separando a pintura em duas cores (saia e blusa).

Principais modificações introduzidas no Aero 1962:

Externas:· Novas cores (saem as duas cores)· Novas rodas (perfuradas) e calotas. Novo friso lateral. Maçaneta na tampa do porta malas· Nova lente da luz de ré
Interior: · Nova disposição nos botões do painel e novos botões· Cinzeiro no topo do painel e novo local do radio. Novos bancos (o traseiro mais baixo). Forração das portas com carpete na parte inferior.
Mecânica: · Novos sistema de freios "Duo-Servo" nas 4 rodas· Novo sistema de escapamento· Nova montagem do freio de mão· Novo local da bobina.

A segunda grande mudança no Aero foi realizada em 1963:

Considerado o primeiro carro inteiramente concebido e construído no Brasil. As alterações foram chamadas de "projeto 213", sendo o projeto concebido em 1957 pelo estilista americano Brook Stevens. Pronto para a apresentação recebeu o nome de "Aero 2600". Este projeto inicial de 1957 acabou por influenciar também as frentes da Rural (esta reestilizada também por Brook Stevens), do Itamaraty 66 e do Corcel 68.

No principio era uma idéia arrojada, depois começou o trabalho e a idéia foi se concretizando. Não eram uns sonhadores. Sabiam o que queriam, E surgiu o primeiro carro concebido no Brasil, para demonstrar que automóvel também era nosso. Foi em 1961 que a diretoria da Willys Overland do Brasil tomou a decisão: O Aero Willys 1963 seria um carro inteiramente novo, com estilo próprio e linha inédita no catálogo internacional. Criar um carro era coisa nova no Brasil, envolvendo problemas de toda espécie, muitos dos quais ninguém imaginava. O início da fabricação deu-se em outubro de 1962 e sua primeira aparição foi no mesmo mês em Paris/França, no mais famoso Salão do Automóvel do mundo.

Entre muitas novidades internacionais aparecia um monobloco brasileiro, 110 cavalos no motor, concepção e estilos novos um "Carrão". Era o primeiro carro concebido e construído na América Latina. O projeto 213 que de fevereiro de 61 a julho de 63 absorveu 129.403 horas regulares e 43.508 horas extras (o equivalente a 60 anos de trabalho de um homem) estava concluído e chamaria "Aero Willys 2600".

A data de 1963 era importante para a Willys pois comemorava-se os 60 anos que lançara seu primeiro veículo, o "Overland 1903". O Brasil então contava, ao lado de numerosos carros de fabricação nacional, com o pioneiro genuinamente brasileiro: o Aero Willys 2600 - 1963. As primeiras peças, como os primeiros carros eram inteiramente feitas à mão.

A terceira grande mudança ocorreu em 1965:

Remodelada a traseira (tornou-se mais baixa com novas lanternas) e a frente ganhou novos contornos no farol, houve mudanças nos frisos, novas cores, novo padrão de estofamento.

Em 1966 foi a vez do lançamento de uma nova versão mais luxuosa batizada de Itamaraty (Uma revista especializada em veículos o chamou de "palácio sobre rodas"). Ele vinha equipado com bancos de couro, ar condicionado opcional com saídas de ar traseiras, nova frente e nova traseira. No Aero 1967 houve mudanças pouco significaticas: a lanterna traseira passa a ser composta por 3 partes distintas (Vermelho/amarelo/branco), e novo painel com 5 instrumentos separados (o anterior era de 3 instrumentos sendo gasolina/temperatura, velocimetro/hodômetro e bateria/óleo).

Nesse ano a grande mudança ocorreu no Itamaraty que ganhou nova frente, novas calotas, novas lanternas traseiras, e novo acabamento. Em 67 também foi criado o Itamaraty Executivo (a primeira limousine brasileira de série), contava com vários opcionais - poucas unidades foram fabricadas.

De 1967 a 1972 poucas modificações ocorreram na linha Aero, a mais significativa foi o motor, que passou a 3000cc. Mudaram os padrões de acabamento e novas cores foram adotadas.

Depois da compra da Willys pela Ford os automóveis passaram por muitas modificações, tendo sido inclusive enviados para teste no Estados Unidos. Diversos itens do Ford Galaxie (Modelo de luxo lançado pela Ford em 1967) foram incorporados no Aero e Itamaraty, tais como: Sistema duplo de freios, sistema de limpadores do párabrisas, detalhes internos, etc.

Desatualizado em comparação à concorrência, principalmente em relação ao Chevrolet Opala, que era vendido na mesma faixa de preço, a Ford decretou em 1972, o fim da produção do Aero-Willys.

Ficha Técnica (modelo Aero-Willys 1960):

Origem e Fabricação: Willys - Estados Unidos / Willys Overland - Brasil
Chassi e Carroceria: monobloco; em chapa de aço
Disposição: motor dianteiro e tração traseira
Motor: 6 cilindros em linha, com bloco e cabeçote em ferro fundido, refrigerado a água. Comando e válvulas de escapamento no bloco e de admissão no cabeçote. 2.600cc³.
Diâmetro em curso mm: 79,37 x 88,90
Taxa de compressão: 7,6:1
Potência máxima: 90cv (SAE) a 4.000 rpm
Torque máximo: 18,77 kgm a 2.000 rpm

Transmissão: câmbio manual com 3 marchas a frente e uma a ré. 1ª não sincronizada.

Freios: dianteiro/traseiro a tambor

Entre eixos mm: 2.738
Comprimento total mm: 4.700
Largura máxima mm: 1.828
Altura mm: 1.593
Combustível: Gasolina
Pneus(mm): 165 x 380

Recordar é viver...

11 comentários:

José Antônio Oliveira-MG disse...

Esse é um carro que ficou na minha memória desde minha infância... e não sabia da riqueza de sua história. Valeu André. Parabéns pela matéria.

Anônimo disse...

saudade de um tempo que nao volta mais e vendo esse carro ai me lembra coisa boas. grande aero willys.

Augusto Modesto, Congonhas/MG

Alisson Dias - BH disse...

Queria ter um desse ai.

Anônimo disse...

André, esse carro aí foi o mesmo utilizado nas filmagens de "Stalone Cobra" em 1987?

Roberval Felix - Curitiba/PR

Ilton de Jesus Carvalho - Belo Horizonte disse...

Bons tempos... Me lembro bem do Aero Willys. Foi o mais imponente automóvel que vi em minha infância e juventude. Belíssima matéria. Parabéns André Candreva.

Roberto Carlos dos Santos disse...

Um carro e tanto. Elegante e imponente. Gostei

Elvis V8 disse...

A foto do casamento de meus pais foi justamente dentro de um Aero Willys , saindo da igreja!
Fantástica esta matéria!
FORD abraço do Elvis!

André Candreva - Congonhas disse...

Amigo Elvis, se puder mande a foto do casamento de seus pais dentro do Aero. Será um prazer publicá-la aqui..

Abraços - André Candreva

Anônimo disse...

... Ah ! Esse é maneiro ! Nesses, as gatas vão querer passear...


M.C.

Anônimo disse...

Sidney de campos dos goitacazes gostei demais, estou a procura de um carro desse: sensacional o vidio e história do Aero willis

André Candreva disse...

Oi Sidney,

obrigado pela mensagem...

e se eu ficar sabendo de algo "Aerobola" eu posto aqui, ok...

abs...