domingo, 24 de outubro de 2010

GP da Coréia do Sul: quem segura o Alonso?

Parecia que o safety car seria a grande estrela do primeiro GP da Coreia do Sul. Afinal, a corrida começou com ele e teve quase a metade de suas voltas sob sua liderança. Mas as voltas de bandeira verde acabaram sendo decisivas para o desfecho da prova e o restante do campeonato. Primeiro, Webber rodou assim que a bandeira verde foi mostrada. Depois, o motor de Vettel estourou na 45ª volta, já próximo do fim. Com isso, a vitória caiu no colo dele, Fernando Alonso. De quebra, o espanhol da Ferrari ainda assumiu a liderança do Mundial de Pilotos com certo conforto.

Lewis Hamilton, que estava impaciente durante o período em que o safety car estava na pista, conseguiu conservar a segunda posição e ainda tem chances, ainda que pequenas, no campeonato. Felipe Massa, companheiro de Alonso na Ferrari, chegou em terceiro e completou um festivo pódio da equipe italiana em Yeongam. O alemão Michael Schumacher, da Mercedes, fez sua melhor corrida do campeonato, e conseguiu uma ótima quarta posição.

No campeonato, Alonso tem agora 231 pontos a duas corridas do fim da temporada, 11 à frente de Webber, o vice. Hamilton subiu para terceiro, 21 atrás, e Vettel caiu para quarto, com 206. O espanhol está muito forte para buscar o sonho do tri, que parecia distante após um início ruim de ano e renasceu após o infame GP da Alemanha, em Hockenheim, quando Massa cedeu a vitória para o companheiro. A próxima corrida será no Brasíl, em Interlagos, no dia 7 de novembro.

A corrida

A falta de aderência do asfalto do novo circuito de Yeongam, na Coreia do Sul, tirou o sono dos pilotos ao longo dos treinos, mas o maior temor deles veio no domingo. A chuva, que começou ainda no sábado, encharcou a pista pela manhã e parou por volta do meio-dia no local. Mas ela retornou a pouco mais de meia hora da largada, colocando muitas interrogações nas equipes.

Após várias rodadas nas voltas de alinhamento do grid, por precaução, a direção de prova optou por adiar a largada em 10 minutos. Em seguida, decidiu pelo início com o safety car na pista, por causa dos riscos. Os pilotos deram três voltas na pista e reclamaram muito das condições da pista. Com os carros aquaplanando em linha reta, a bandeira vermelha foi mostrada e a corrida, interrompida. Começava assim uma longa espera pela melhoria das condições da pista.

Após 48 minutos de interrupção e o crescente risco da luz natural acabar em Yeongam, a direção de prova mandou novamente o safety car para a pista e os carros começaram a andar novamente. A luta passava a ser para os 75% de prova, ou 42 voltas. Com 36 minutos do carro de segurança, a largada foi autorizada na 18ª volta, com Vettel na liderança, seguido por Webber e Alonso.

Só que, na 19ª volta, Webber cometeu seu primeiro erro grave na temporada e se complicou muito no campeonato. O australiano exagerou, pisou na zebra, rodou e acertou o muro. Seu carro ainda retornou à pista e acertou Nico Rosberg, que vinha em quarto, na tangência da curva. Os dois abandonaram, para alegria de Vettel e Alonso, que se mantinham nas duas primeiras posições.

O acidente provocou mais uma entrada do safety car, desta vez na 20ª volta. A intervenção durou apenas três voltas, e os pilotos foram liberados para correr mais uma vez. Vettel manteve a liderança novamente, com Alonso cerca de dois segundos atrás. Hamilton era o terceiro, seguido por Massa. Button, que era o quinto, acabaria superado por um inspirado Schumacher, na melhor corrida do heptacampeão em seu retorno à Fórmula 1 em 2010.

Na frente, Vettel abria vantagem para Alonso, enquanto Hamilton era pressionado na terceira posição. No meio do pelotão, algumas rodadas e encontrões, mas sem grandes consequências para a corrida, que continuava em bandeira verde. Só que, na 31ª volta, Sebastien Buemi tentou ultrapassar Timo Glock, perdeu o carro e acertou o alemão, provocando o retorno do safety car.

Com a bandeira amarela, Hamilton, Massa, Schumacher, Barrichello e Kubica entraram nos boxes e trocaram os pneus de chuva pelos intermediários. Na volta seguinte, Vettel e Alonso fizeram o mesmo, mas o espanhol teve problemas na roda dianteira direita em sua parada e acabou perdendo a segunda posição para Hamilton em seu retorno à pista.

A nova relargada foi autorizada na 36ª volta, e Vettel manteve a liderança com folga mais uma vez. Alonso, por sua vez, aproveitou um erro de Hamilton para recuperar a segunda posição. Massa, que vinha em quarto, tentou se aproveitar também, mas teve a porta fechada. Mais atrás, Barrichello ganhava a sexta posição após os pit stops e tentava se aproximar de Schumacher.

Enquanto Sutil dava show de trapalhadas na parte de trás da corrida, Alonso começava a se aproximar de Vettel, que reclamava de dificuldades na freada da curva 1 de Yeongam. Na 41ª volta, Petrov exagerou na parte final do circuito e bateu forte na área de escape da entrada da reta. A direção de prova optou por não colocar o safety car novamente na pista.

Na 46ª volta, Vettel perdeu rendimento na reta dos boxes, foi ultrapassado por Alonso e teve seu motor estourado em seguida. O alemão abandonou a corrida em seguida. Com isso, o espanhol assumiu a liderança, seguido por Hamilton. Massa herdou a terceira posição, bem à frente de Schumacher, o quarto. Barrichello acabou lucrando bastante e  conseguiu a quinta posição.

Só que o brasileiro da Williams perdeu desempenho nas voltas finais por causa do alto desgaste de seus pneus intermediários. Barrichello acabou perdendo posições para Kubica e Liuzzi, mas conseguiu salvar uma sétima posição. Na frente, Alonso abriu uma boa vantagem para Hamilton, e caminhou tranquilo para sua quinta vitória na temporada 2010, a primeira na Coreia do Sul.

Confira o resultado do GP da Coreia do Sul, em Yeongam (305,909 km):

1 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 55 voltas em 2h48m20s810
2 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - a 14s999
3 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 30s868
4 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 39s688
5 - Robert Kubica (POL/Renault) - a 47s734
6 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) - a 53s571
7 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 1m09s257
8 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 1m17s889
9 - Nick Heidfeld (ALE/Sauber-Ferrari) - a 1m20s107
10 - Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) - a 1m20s851
11 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 1m24s146
12 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - a 1m29s939
13 - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) - a 1 volta
14 - Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas
15 - Sakon Yamamoto (JAP/Hispania-Cosworth) - a 2 voltas

Não completaram:
Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 9 voltas/acidente
Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 10 voltas/motor
Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 16 voltas/acidente
Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) - a 24 voltas/acidente
Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 25 voltas/acidente
Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) - a 30 voltas/acidente
Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) - a 30 voltas/acidente
Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 37 voltas/acidente
Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 37 voltas/acidente

Melhor volta: Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1m50s257, na 42ª

Nenhum comentário: