segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Webber: líder absoluto na F1




Mark Webber criou uma ‘situação’ para a Red Bull. O australiano foi perfeito no Hungaroring e assumiu a ponta no Mundial de Pilotos.  E o que vai acontecer com o queridinho Sebastian Vettel? As duas últimas corridas da Europa – Spa e Monza – deverão responder a questão. Webber pode não ser tão brilhante mas, sem dúvida, é uma aposta mais segura para a Red Bull na busca do título. Vettel é rápido, muito rápido, mas no futebol ganharia o apelido de ‘Leão de treino’.

O GP da Hungria teve de tudo. Webber desafiou a lógica e não aproveitou o safety car para fazer a troca de pneus. Estava descartado para o pódio. Mas acabou abrindo mais de 20 segundos sobre Fernando Alonso e, com muita comodidade, entrou no box, fez a troca no momento certo e cruzou a linha de chegada sem ser importunado pelos demais concorrentes. Vettel nem teve coragem de enfrentar Alonso pelo segundo lugar. E carro ele tinha. Felipe Massa largou em quarto e terminou em quarto. Vettel complicou-se com o safety car. Ele estava na liderança, nessa altura, e deixou um espaço de mais de dez carros entre seu monoposto e o safety car para segurar Alonso e dar mais chances para Webber. Resultado: tomou um drive through e perdeu a chance de chegar na frente.

A corrida foi marcada por um curioso acidente envolvendo a Renault de Robert Kubica e a Force India de Adrian Sutil, no box. Nico Rosberg perdeu uma roda, também no box. E Rubinho Barrichello e Michael Schumacher protagonizaram a cena mais eletrizante da corrida. Rubinho em 11º foi apertando Michael Schumacher em 10º mas não encontrada um ponto ideal de ultrapassagem no sinuoso traçado do Hungaroring. Até que, a três voltas da bandeirada final, Rubinho meteu a Williams pelo lado direito, junto ao muro da reta dos boxes. Schumacher foi fechando lentamente o ângulo de ultrapassagem. O muro acabou e Rubinho, quase espremido na parede, saiu na frente. O alemão ainda esboçou alguma reação para o último ponto da corrida, que já tinha dono.

A manobra duvidosa de Schumacher, quase prensando o carro de Rubinho junto ao muro, valeu-lhe uma severa punição por parte dos comissários da FIA que não andam deixando escapar nada, segundo a orientação do presidente da entidade, Jean Todt. Na próxima corrida, o GP da Bélgica, Schummy perderá dez posições no grid. O que significa que, provavelmente, não marcará pontos na corrida. Os dois pilotos trocaram algumas farpas após a corrida. Rubinho disse que tinha ‘pena’ de Schumacher; Schumacher disse que ‘não dá presentes na Fórmula 1 e quem quiser ultrapassá-lo tem que mostrar competência’.

O maior prejudicado da corrida foi o inglês Lewis Hamilton, que vinha fazendo uma temporada equilibrada e consistente. No domingo o motor acabou tirando sua chance de marcar mais pontos. E ele perdeu a liderança. Mas a diferença é mínima. Webber está na frente, com  161 pontos e Hamilton tem 157. Na disputa interna da Ferrari, Alonso aumentou sua vantagem. Ele é o quinto com 141 pontos enquanto Massa ocupa a sexta posição, com 97.

Já entre os construtores tudo indica que a luta ficará mesmo entre a Red Bull com seus 312 pontos e a McLaren com 304. Mas para reverter essa situação, a Ferrari (238 pontos) terá que mostrar mais eficiência, embora tenha reagido bem nas duas últimas corridas.

Nenhum comentário: