segunda-feira, 12 de julho de 2010

GP Inglaterra: Webber 3x...

Após a pole position conquistada no sábado, as apostas recaíam em Sebastian Vettel. Mas o alemão tratou de fazer uma lambança daquelas logo na primeira volta, não só perdendo a ponta para Mark Webber como também todas as outras posições em virtude de um pneu furado. Obrigado a fazer uma parada prematura, tal e qual Felipe Massa – que também teve um furo após um toque com Fernando Alonso, o alemão caiu para a última posição. O caminho estava aberto para Mark Webber, que assumiu a liderança de imediato, manter-se na frente até o fim e receber a quadriculada da vitória numa corrida de poucas emoções.
 
Webber, que tornou-se – por enquanto – o maior vencedor do ano com três vitórias em dez corridas disputadas, comemorou com uma boa dose de ironia. “Nada mal para um segundo piloto”, disse para o mundo inteiro ouvir. Na coletiva após a corrida, disparou a metralhadora giratória. O alvo? Christian Horner.

“Se eu soubesse que as coisas na equipe eram assim, não teria renovado contrato para 2011.”
São mostras de que o australiano está desgostoso, irritado e preterido no seio da Red Bull por Sebastian Vettel. O detalhe é que ele correu neste fim de semana com o chassi rejeitado pelo companheiro de equipe após o GP de Mônaco e rumores dão conta que o alemão recebeu em seu carro uma asa traseira que seria do companheiro de equipe, o que deixou o vencedor de Silverstone bastante descontente a ponto de bater boca com Horner, que teria humilhado seu piloto.

Apesar da vitória, o máximo que Webber conseguiu foi trocar de posição no campeonato com Sebastian Vettel, que fez uma corrida de recuperação absolutamente feroz com direito a uma manobra arriscada na penúltima volta sobre Adrian Sutil para chegar na 7ª posição, o melhor que pôde alcançar – e isso porque o Safety Car deu o ar da graça pouco depois da metade da corrida, reagrupando o pelotão. Sem o carro de segurança, talvez Vettel não tivesse pontuado.

Quem não pontuou foi a Ferrari: além do furo de pneu no carro de Massa, que o relegou também ao fim da fila e uma saída de pista que o deixou depois num esquálido 15º lugar na classificação final, Fernando Alonso também passou por uma boa dose de percalços. Cortesia dos comissários, que puniram o bicampeão do mundo com um drive through por entenderem que ele prejudicou Robert Kubica numa disputa de posição, cortou caminho e não devolveu a posição como deveria. Isso relegou o asturiano ao décimo-quarto posto. A punição foi exagerada, um erro dos egrégios comissários, que tinham entre eles ninguém menos que o campeão de 1992 Nigel Mansell.

E num fim de semana onde faltou carro para acompanhar a Red Bull, a McLaren saiu no lucro. Lewis Hamilton chegou em segundo e manteve-se na liderança do campeonato com 145 pontos. Jenson Button, por sua vez, fez uma grande corrida, buscando o tempo todo se livrar do prejuízo da 14ª posição no grid. Acabou em quarto, prêmio para uma pilotagem consistente e segura. Entre eles, chegou Nico Rosberg, no terceiro pódio da Mercedes no ano.

Palmas também para Rubens Barrichello, que continua a fazer milagres com a Williams, de contrato renovado com a Cosworth para o próximo campeonato. O carro dotado de blown diffuser mostrou progressos mais uma vez, e mesmo numa atuação tida como “discreta”, o experiente piloto brasileiro salvou um quinto lugar muito comemorado pelos lados de Grove. Outro que merece parabéns é Kamui Kobayashi, que figurou na zona de pontos com um convincente sexto lugar.

Atrás de Vettel, sétimo colocado, terminaram Adrian Sutil, que mantém a Force India no top 6 do Mundial de Construtores, um apagado Michael Schumacher e Nico Hülkenberg, que enfim voltou a marcar pontos no campeonato. Na turma de trás, só Vitantonio Liuzzi tentou fazer alguma coisa: largou em 20º e chegou em 11º. As duas Lotus enfim terminaram, com Trulli em décimo-sexto e Kövalainen logo atrás, milagrosamente a uma volta só do vencedor. Timo Glock, Karun Chandhok e – como esperado – Sakon Yamamoto, fecharam a raia. A corrida de Lucas di Grassi durou só dez voltas: um vazamento no sistema hidráulico tirou o brasileiro de combate.

O novo round do campeonato é o GP da Alemanha, em Hockenheim. Red Bull e McLaren mais uma vez devem dominar as ações com seus pilotos, assim como ambas as equipes dominam o Mundial de Construtores. Mas não se enganem: em terra de Vettel, o clima poderá ser o pior possível para a equipe do touro vermelho.

Melhor para a equipe prateada.

Nenhum comentário: