segunda-feira, 15 de março de 2010

SP Indy 300: o começo

Terminada a etapa de São Paulo da Fórmula Indy, com a justa vitória de Will Power, da Penske, ficam as lições dos acertos e erros da organização para a prova, que será realizada no circuito de rua do Anhembi por mais quatro anos. A organização da prova teve sorte que aconteceu de tudo: sol, chuva, batidas, aceleração, reclamações e elogios.

Divido por partes. Os elogios: o local escolhido é bom. O traçado do circuito, nada excepcional, mas bom também. Permite ultrapassagens, só faltava uma curva de alta (mas admito que não influencia em nada). O acesso foi razoável, quase não haviam camibstas e ambulantes e a rigidez dos seguranças também passa.


Os problemas: a reta do sambódromo, o asfalto em geral – pelo excesso de ondulações -, a rigidez da segurança (que corretamente impedia de entrar ou fazer algo em determinados lugares, mas os próprios eram vistos tietando e fazendo o que não deve), a lentidão dos veículos do transporte público e o alto preço dos alimentos.


Para quem assistiu pela TV ou ouviu pelo rádio, uma maravilha, tudo ok. Mas não foi nada disso, não caia no discurso deles (esse é o problema quando uma empresa de comunicação é a organizadora do evento e eles gastaram cerca de R$ 30 milhões). Tem muita, mas muita coisa a se fazer. E para o ano que vem não tem desculpa de prazo curto.


Torço para que dê certo.

Nenhum comentário: