segunda-feira, 8 de março de 2010

Quatro por quatro

por Rafael Lopes

RBR e Ferrari

Depois das férias, é hora de voltar ao blog. Neste último fim de semana, a Fórmula 1 realizou em Barcelona a última sessão de testes coletivos para a temporada 2010, ainda de acordo com o esdrúxulo regulamento que proíbe atividades de pista entre as corridas. É claro que não podemos dizer com certeza que os resultados serão os mesmos dos GPs deste ano, mas já dá para ter uma ideia. E parece que poderemos ver um retorno à competitividade das décadas de 1980 e 1990, com quatro forças bem definidas na frente.

Ferrari, McLaren, RBR e Mercedes despontam como as quatro principais equipes desta temporada. Destas quatro, o time italiano parece estar mais à frente, seguida pelos austríacos com mais um belo projeto de Adrian Newey. A McLaren de Jenson Button e Lewis Hamilton cresceu nas últimas duas atividades, com ótimos resultados em pista. Já a Mercedes de Rosberg e Schumacher é a que ficou mais atrás nos testes, mas não dá para descartar o trabalho de Ross Brawn. A equipe estreará seu difusor apenas no Bahrein.

Mercedes e McLaren

Das equipes do pelotão intermediário, a Williams é a que parece ter mais potencial. O motor Cosworth, que retorna à Fórmula 1 neste ano, parece ter evoluído muito desde os primeiros testes desta temporada, no início de fevereiro. A equipe de Barrichello e Hulkenberg melhorou a confiabilidade do carro e poderá ser responsável por algumas surpresas neste ano. Além do time inglês, Force India, Sauber e STR deverão brigar pelas posições intermediárias em 2010. A decepção desta pré-temporada é a Renault de Robert Kubica, que sempre esteve longe das primeiras posições em todos os testes da Fórmula 1.

Quanto às equipes novas, nenhuma surpresa. Confesso que, até pelo noviciado, já esperava um desempenho abaixo da média para elas. Os dois times ficaram, em média, cinco segundos atrás dos primeiros colocados, algo natural para estreantes, mas com muitos problemas mecânicos em seus carros. A situação tende a melhorar ao longo da temporada, apesar de seus orçamentos não serem tão grandes quanto os das principais equipes. Ainda temos duas interrogações no grid: Campos (ou Meta?) e USF1 ou Stefan GP.

Ainda vou escrever, nesta semana, sobre os problemas das novas equipes nesta temporada 2010. Mas apesar disso, há muito tempo uma temporada da Fórmula 1 não era esperada com tanta ansiedade. Este ano promete!

Nenhum comentário: