quinta-feira, 11 de março de 2010

Fórmula 1 2010: sem favoritos

O Mundial de Fórmula 1 2010 vai começar no próximo dia 14 de março, no Bahrein, sem favoritos. Os testes de inverno já realizados em Jerez e, antes, em Valência mostraram um saudável equilíbrio, cautela das equipes em exibir seus trunfos e muito interesse pela volta de Michael Schumacher. A Fórmula 1 tem 60 anos e uma base sólida que assegura a condição de modalidade mais importante e respeitada do automobilismo internacional. Qualquer outra categoria com menos idade e sem a mesma história é incapaz de criar tanta expectativa antes do início de um campeonato.

O grid ainda não está 100 % definido. Mas a disputa das grandes equipes não é mais mistério. A Ferrari, com Felipe Massa e Fernando Alonso, sairá na frente, mas não muito. A equipe italiana nem cogita usar o ligeiro favoritismo como instrumento de pressão nas primeiras corridas do ano. Os testes indicam que a dupla ferrarista travará um intenso duelo para garantir alguma vantagem na competição com as demais escuderias. Essa disputa interna poderá servir de emulação para a disputa dos Mundiais de pilotos e construtores.

Quem vai acossar a Ferrari? Esta é uma das dúvidas. Há, de cara, pelo menos duas equipes que já apresentaram suas armas: McLaren e Mercedes. A primeira traz dois campeões mundiais – Jenson Button e Lewis Hamilton – dupla puro sangue inglesa. A segunda vem nada mais nada menos com Michael Schumacher, o mítico piloto alemão, maior vencedor da categoria em todos os tempos. Ao seu lado, a jovem promessa (?) Nico Rosberg. Também uma dupla puro sangue. Alguém duvida do que estes pilotos serão capazes de fazer nos circuitos da Fórmula 1? É só esperar mais algumas semanas.

Há ainda outros ingredientes saborosos aguardando o início do campeonato. A dupla da Red Bull, por exemplo, com Sebastian Vettel e Mark Webber, lutou até o final, em 2009, rumo ao título. Vettel se ganhasse o campeonato não seria exatamente uma surpresa. Eles estão juntos mais uma vez e com planos ainda mais ambiciosos do que no ano passado. O rápido mas irregular Robert Kubiça correrá com a missão de reunir e recuperar o que restou da Renault, estreando na nova equipe. E o japonês Kamui Kobayashi que injetou muita adrenalina nas corridas finais de 2009 será seguido por olhares atentos, defendendo a nova BMW Sauber.

Rubinho Barrichello, por seu lado, iniciando sua 18º temporada e aumentando sua vantagem como o piloto que mais largou na Fórmula 1, não perde o otimismo e promete surpresa com sua Williams-Cosworth. A confirmar. E Lucas Di Grassi, depois de longos anos emprestando seu invejável conhecimento técnico à Renault, ganha a primeira oportunidade correndo pela nova Virgin.

Bruno Senna, confirmado na recém criada Hispania, terá pela frente um enorme desafio: se manter na categoria apesar do sobrenome famoso. Não será uma tarefa fácil, pois até agora sua equipe ainda não rodou nenhum quilômetro, o que deixa uma interrogação no ar: o que equipe tem a mostrar nesta temporada? Vamos torcer por ele...

Uma nova pontuação privilegiando as vitórias - 25-18-15-12-10-8-6-4-2-1 – e o fim do reabastecimento, exigindo mudanças na estrutura dos carros, completam o quadro para 2010. O GP Brasil, de 5 a 7 de novembro em Interlagos, poderá conhecer pela sexta vez consecutiva o campeão mundial. Com tantos elementos novos a disputa deverá mesmo ir até o fim.

Nenhum comentário: