segunda-feira, 8 de março de 2010

Correndo atrás

por Rafael Lopes

Apresentação do carro da HRT

20 – Karun Chandhok (IND)
21 – Bruno Senna (BRA)

A ex-Campos-Meta-Hispania e atual HRT finalmente mostrou seu carro para disputar a temporada 2010 da Fórmula 1. A equipe de José Luis Carabante, chefiada por Colin Kolles, ex-Midland, Spyker e Force India, terá o brasileiro Bruno Senna e o indiano Karun Chandhok (com o enorme apoio de Bernie Ecclestone, com vários interesses no país) como pilotos. Vale lembrar que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), sabe-se lá por qual critério, vetou a inscrição como Hispania e obrigou que o time usasse sua sigla como nome oficial.

O carro é projetado pela fábrica italiana Dallara, que cuida do projeto desde dezembro. Os problemas financeiros da equipe atrapalharam o cronograma e impediram os testes de pista em fevereiro, nas sessões coletivas realizadas na Espanha. Por isso, não dá para esperar muito de um modelo que nunca foi à pista logo nas primeiras corridas. Como Colin Kolles e Bruno Senna já disseram, a equipe vai encarar a fase inicial do campeonato, na Ásia e na Oceania, como uma preparação para as provas europeias.

Apresentação do carro da HRT

A HRT terá um projeto bastante convencional em sua primeira temporada. A parte dianteira foi claramente inspirada na RBR de 2009, de Adrian Newey, com a proeminência em “V” (ou os “chifres”, como preferir) colocada entre as duas rodas dianteiras. O aerofólio frontal já tem algumas peças elaboradas aerodinamicamente, como a aleta dupla colocada na parte mais acima, uma de cada lado da asa. As laterais do carro, por sua vez, lembram muito o desenho lançado pela Brawn GP no ano passado, bem esguias e elegantes. O ponto negativo, na minha opinião, não influi no desempenho. A pintura, com um cinza chumbo e faixas brancas, laranjas e vermelhas ao longo da carenagem, já é uma das mais feias desta temporada.

Para quem vai torcer por Bruno Senna neste ano, recomendo paciência. Não duvido do talento do brasileiro, já que acompanho sua carreira desde os primeiros tempos na Inglaterra, no curto período em que esteve na Fórmula Renault e depois na F-3 Inglesa. Apesar das dificuldades, como não ter a formação do kart, Bruno tem uma boa base técnica e pode vencer na Fórmula 1. Mas ninguém faz milagre sem um bom carro na categoria. Por isso, alguns pontos neste primeiro ano já devem ser considerados um bom desempenho. Não há um motivo para queimar o jovem piloto logo em sua primeira temporada na F-1.

Nenhum comentário: