segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Dia brasileiro

Por Rafael Lopes

Antes de falar propriamente da vitória de Rubens Barrichello, gostaria de comentar o belo dia para o Brasil em Monza. Primeiro, Luiz Felipe Nasr venceu a etapa da Fórmula BMW Europeia, categoria que corre como preliminar da F-1, e se sagrou campeão da temporada 2009. Depois, na segunda corrida da GP2, Luiz Razia liderou uma dobradinha verde e amarela, que ainda teve Lucas di Grassi em segundo. Com o resultado, o alemão Nico Hulkenberg, terceiro na prova, levou o título deste ano.

Após todas estas vitórias, chegou a vez da Fórmula 1. As perspectivas para uma vitória brasileira não eram das melhores, após todo o suspense sobre o câmbio do carro de Rubens Barrichello. A quinta posição no grid era muito boa, porque o piloto e a Brawn GP tinham apostado em uma tática de apenas uma parada. Poucos minutos antes dos carros saírem para a volta de alinhamento, a equipe inglesa confirmou que não trocaria a peça e o piloto não perderia cinco posições na saída da corrida na Itália.

Assim como em Valência, sua outra vitória no ano, Barrichello fez uma corrida inteligente, calcada na tática. Após a boa largada, quando superou um Kovalainen com o Kers, o brasileiro manteve um ritmo de corrida constante e a diferença para Lewis Hamilton, o primeiro, ficou em uma margem de segurança que o permitia fazer apenas uma parada. Ele também escolheu bem os pneus: ao começar com os duros, aproveitou-se da resistência para forçar o ritmo. Após o pit stop, com os macios, não sofreu com o desgaste por causa da pista já mais emborrachada em Monza. A velocidade e a tatica perfeita deram a vitória ao brasileiro.

A lamentar, apenas, o segundo lugar de Jenson Button, que permitiu apenas reduzir a desvantagem para 14 pontos. Contudo, é mais um golpe psicológico no inglês, que não vence desde o GP da Turquia, no dia 7 de junho. O momento da temporada é melhor para o brasileiro e os dois polarizaram a disputa, já que Sebastian Vettel e Mark Webber ficaram para trás. A Brawn GP também está com o Mundial de Construtores quase garantido. Com isso, a equipe terá tranquilidade para deixar seus pilotos disputarem o título na pista.

Com 14 pontos para tirar em 40 a serem disputados, o título é um objetivo possível. Se Rubens Barrichello continuar com o desempenho das últimas provas, pode sim tirar esta desvantagem. A briga com Jenson Button será difícil, mas a confiança do brasileiro pode fazer a diferença. Correndo com um misto de agressividade e tática, ele pode sim conseguir mais vitórias e, quem sabe, ser campeão desta temporada.

Nenhum comentário: