terça-feira, 28 de abril de 2009

No fundo do poço...


Felipe Massa com sua Ferrari no Bahrein

Que a fase da Ferrari não é das melhores, todo mundo já notou nas corridas na Austrália e na Malásia. Mas esta sexta-feira marcou o fundo do poço para a equipe italiana. Com um carro muito ruim em relação aos demais times, Felipe Massa e Kimi Raikkonen ficaram nas duas últimas posições dos treinos livres para o GP do Bahrein. A maior tradição da Fórmula 1 parece estar atolada em um deserto de desempenho.

Preciso ser justo aqui: por falta de tempo, acabei não comentando a excepcional corrida de Felipe Massa na chuva chinesa. Antes de seu carro quebrar, ele estava na terceira posição, em uma sensacional prova de recuperação. Uma belíssima resposta a quem diz que o brasileiro não sabe andar na chuva. Em tempo: tido como gênio no molhado, Lewis Hamilton rodou quatro vezes no GP e chegou atrás até de Heikki Kovalainen, seu companheiro. Massa e Hamilton tiveram desempenhos opostos ao de Silverstone-2008, lembram?

A culpa deste mau início de temporada é de todos na Ferrari, menos dos pilotos. Apesar de achar que Raikkonen está aquém de Massa neste início, o grande problema está no F60, que tem graves defeitos de nascença. Além disso, os desmandos dos dirigentes na pista prejudicaram ambos nas três primeiras corridas do ano. Este fator fez com que Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, viajasse ao Bahrein para assistir ao GP. Será que isto terá efeito positivo ou elevará a pressão a níveis inimagináveis? Acredito na segunda opção.

A morosidade no desenvolvimento do carro é preocupante. A McLaren, a Renault e até a Force India já se mexeram e colocaram novidades na pista. A Ferrari continua em marcha lenta, com poucas mudanças desde a Austrália. Neste ritmo, a temporada vai passar e os vexames vão continuar. Nunca na história a equipe deixou de marcar pontos nos quatro primeiros GPs de uma temporada. A julgar pelo desempenho nos treinos livres em Sakhir, o recorde negativo será alcançado com facilidade neste fim de semana.

Os problemas de comando na equipe remetem aos tempos de Cesare Fiorio, chefe no início da década de 1990. Mas não diria que é culpa dos italianos; é apenas uma coincidência. Obviamente, algo está errado na Ferrari. E está mais do que na hora do Sr. Luca di Montezemolo intervir, antes que o cavalinho fique atolado de vez na temporada 2009. A reação parece bem distante…

Nenhum comentário: