sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Os brasileiros e a Fórmula 1 2009

por Rafael Lopes

Bruno Senna e seu futuro; será na ex-Honda?

No post que escrevi sobre Sebastien Bourdais, confirmado na STR, o internauta Álvaro Caldas pediu um texto sobre o panorama dos brasileiros para a temporada 2009 da Fórmula 1. A sugestão foi ótima e resolvi atendê-lo rapidamente. Bem, vamos lá: após o vice-campeonato em 2008, Felipe Massa está confirmado na Ferrari e é um dos favoritos ao título mundial. Nelsinho Piquet será o companheiro do bicampeão Fernando Alonso na Renault e pretende ter um desempenho melhor neste ano.

Com a confirmação de Bourdais, as 18 vagas nas nove equipes inscritas para a temporada 2009 estão preenchidas. Resta apenas a ex-Honda, que ainda espera por um comprador. Quanto às chances de permanência na categoria, acho que são boas. Bernie Ecclestone sabe que um campeonato com menos de 20 carros seria nocivo para a Fórmula 1. Acredito que o time receberá um incentivo financeiro do chefão e terá um preço camarada para receber motores de uma fábrica. A favorita, atualmente é a Mercedes, já que a Ferrari disse não ter condições para atender a mais uma equipe - sua única cliente atualmente é a STR.

Se a ex-Honda conseguir entrar na pista, Jenson Button e Bruno Senna são os favoritos às vagas. Aliás, na minha opinião, se o brasileiro liberou sua vaga na iSport da GP2 é porque deve ter uma carta na manga, a certeza de algo melhor, provavelmente na Fórmula 1. A evolução do piloto, que tem pouco tempo de carreira no automobilismo, impressiona muito. Além disso, ele ainda tem o fator sobrenome a seu favor. Ter um Senna de volta à categoria desperta o interesse de Ecclestone e dos marketeiros, principalmente em tempos de crise financeira. Seria um chamariz para novos parceiros.

Qual será o futuro de Rubens Barrichello?

Rubens Barrichello, por sua vez, tem poucas chances de permanecer na Fórmula 1. O brasileiro, recordista de GPs na história da Fórmula 1, espera por uma vaga na ex-Honda, a mesma pela qual Bruno Senna aguarda. Sem comprador até agora, a equipe baseada em Brackley deve apostar no nome que chamará mais atenção para os patrocinadores. No entanto, tomando como base o fato de que o modelo de 2009 não será testado antes do GP da Austrália, em 29 de março, a experiência de Barrichello seria importantíssima.

Qual será o futuro de Lucas di Grassi?

Já Lucas di Grassi, que participou dos testes da ex-Honda em novembro, junto com Bruno Senna, é o brasileiro que tem menos chances de pilotar na temporada 2009 da Fórmula 1. Ele teve um desempenho parecido com o do rival na ocasião, apenas um pouco abaixo. Na Renault, onde era piloto de testes até 2008, ele não ficará: o francês Romain Grosjean foi confirmado em sua vaga. O piloto procura por vagas nos EUA e, talvez, até GP2.

Nenhum comentário: