terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Por Carlos Gil

Em Fiorano, sede da Ferrari, nevou esta semana. Fazia 3ºC negativos pela manhã. Em Mugello, mais ao sul, a temperatura era de 10ºC positivos quando Felipe Massa deixou os boxes para as primeiras voltas com a F60, carro desenvolvido pela Ferrari para a temporada 2009 da Fórmula 1. Foram algumas sessões de testes em pista reduzida e o resultado final foi satisfatório, nas palavras do brasileiro.

Antes da entrevista de Felipe Massa, quem falou foi Stefano Domenicali, diretor-esportivo da equipe. Reproduzo aqui alguns trechos interessantes:

- Motores

Para Domenicali, o grande desafio é a confiabilidade do motor Ferrari, que deixou a equipe na mão algumas vezes em 2008 e, de certa forma, custou o título a Felipe Massa (especialmente levando em conta o GP da Hungria). Ele falou também sobre o regulamento que prevê o uso de até oito motores em corridas. Isso acaba com a exigência de usar o mesmo motor em três provas. As equipes poderão usar quantas vezes quiserem, com um máximo de oito diferentes ao longo da temporada. Se o time precisar utilizar mais de oito, uma punição ainda está sendo estudada pela FIA.

- Kimi Raikkonen

O finlandês recebeu autorização da equipe para participar do Rali da Lapônia, neste mês. Segundo o chefe, Raikkonen está motivadíssimo para a temporada 2009 (a conferir). Kimi vai correr com o F60 em Portimão, nos testes coletivos, a partir do dia 19 de janeiro.

- Papel dos pilotos

Segundo Domenicali, os pilotos serão ainda mais exigidos em 2009. Precisarão ajudar muito mais no acerto dos carros e nas opiniões sobre o desempenho das máquinas.

- É um ano em que todos terão que se doar um pouco mais - diz o diretor-esportivo da Ferrari.

- Kers

Domenicali expôs, mais uma vez, a discordância política da Ferrari em relação ao uso do dispositivo. Para Domenicali, é uma contradição apostar em tal novidade em uma época de corte de gastos. Nenhum comentário, é claro, sobre o fato de a BMW parecer estar muito bem e a Ferrari ter dificuldades de adaptação…

- Impressões de Felipe Massa sobre a F60

Nesse primeiro dia, Felipe Massa não pôde responder a perguntas em português da imprensa brasileira. Respondeu a apenas três questões, formuladas pela Ferrari. Disse que ficou feliz com o desempenho do carro e até surpreso. Que o Kers funcionou bem e que, realmente, sentiu o aumento de potência ao apertar o botão que aciona o dispositivo.

Felipe também brincou com a fama de “feio” da novidade. Ele disse que o modelo é “bacana”. E prefere um carro não tão bonito mas que corra, a um lindíssimo que não saia do lugar.

- Feio pode ser forte, mas é meio esquisito. Talvez a gente se acostume ao visual ao longo da temporada - diz Massa.

Massa rodou pouco mais de 100 quilômetros e voltará às pistas, com Kimi, em Portimão, a partir do dia 19.

Nenhum comentário: