quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Mudança de planos tira Lucas di Grassi da F-1

por Rodrigo Mattar

Pelo menos em 2009, o piloto Lucas di Grassi não terá a oportunidade de ser piloto titular de Fórmula 1. Os três dias de treinos em Barcelona bastaram para que a Honda dispensasse seus serviços - e a decisão de chamar só Bruno Senna para as sessões que acontecerão em Jerez foi a senha para isso.

Mas o sobrinho do tricampeão Ayrton Senna não estará sozinho: a Honda mudou os planos e vai colocar Rubens Barrichello em confronto com Bruno Senna, uma vez que segundo o site Grande Prêmio, a comparação dos tempos de volta de Jenson Button com o estreante brasileiro - que num teste ficou a apenas três décimos do britânico - foi “inconclusiva”.

Assim, nada melhor que avaliar o potencial de Bruno do que uma comparação com aquele que tem hoje o maior número de GPs da Fórmula 1. E tem mais: existe uma divisão dentro da equipe, o que é ruim para uma escolha como essa. Ross Brawn não esconde de ninguém que prefere continuar trabalhando com Rubens Barrichello. E Nick Fry, que nunca morreu de amores por ele, não tem dúvidas que Bruno Senna pode ser um bom substituto.

Eu só lamento que não exista um lugar para Lucas di Grassi em 2009. Para mim, fica claro que por não ter um sobrenome de peso, como Piquet e / ou Senna, ele enfrenta toda essa dificuldade para ser titular em qualquer equipe de Fórmula 1. Talento ele tem, de sobra. Já mostrou isso por onde passou, do kart à GP2 e neste ano, ajudou a escuderia espanhola Campos a ser a melhor do ano. O que mais os dirigentes precisam saber para perceber que ele é um piloto de grande potencial?

Aí é que entra o problema: o pai dele, Vito di Grassi, comerciante do ramo de armamentos, me confessou no Capacete de Ouro que nunca pensou ser tão difícil “negociar” com os homens da Fórmula 1. Quando o talento fica em segundo plano, como agora, o dinheiro fala mais alto. E só agora, em 2008, Lucas contou com o apoio de um patrocinador brasileiro, o que é muito pouco.

O torcedor brasileiro vai perder a chance de ter um talento em potencial em detrimento de um sobrenome que é “mágico”, mas de um menino que para mim ainda não está pronto para tamanho desafio. Torno a repetir que se a Honda escolher Bruno Senna como titular em 2009, terá dado um grande tiro no pé. E que a decisão vai ser um risco para a carreira do próprio piloto na Fórmula 1.

Um comentário:

Anônimo disse...

Acho que o Lucas ainda terá sua oportunidade na Fórmula 1. Talvez não ainda a hora. Ele é um grande piloto e vai dar muitas alegrias aos brasileiros. Augusto/Muriaé