segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Massa faz corrida espetacular e reduz a diferença para Hamilton

Lewis Hamilton, da McLaren, pode até conquistar o título já no GP da China, domingo, mas ontem na corrida de Fuji, no Japão, aprontou mais uma quando a disputa se torna decisiva: errou na largada, provocou enorme confusão e não marcou ponto algum. Felipe Massa, da Ferrari, pôde aproveitar pouco seu equívoco e terminou em sétimo, reduzindo a diferença entre ambos na classificação para 5 pontos, 84 a 79.O espanhol Fernando Alonso, da Renault, deu outro show de competência e venceu a antepenúltima etapa do campeonato.

A segunda temporada de experiência na Fórmula 1, este ano, parece não estar sendo muito útil a Hamilton na hora de colocar-se na situação de poder ser campeão. A exemplo do desempenho comprometedor no final do último Mundial, que o levou a perder o título para Kimi Raikkonen, da Ferrari, ontem Hamilton jogou tudo a perder ao procurar recuperar na freada da primeira curva a liderança da prova perdida para Kimi Raikkonen, da Ferrari. Brecou tão tarde que seguiu reto e levou consigo vários adversários.

“A punição foi justa, claro, largou mal, o Kimi já o havia ultrapassado e ele colocou o Kimi para fora”, disse Massa sobre o drive-through imposto a Hamilton, que acabou em 12º. Mas o piloto da McLaren caiu apenas de primeiro no grid para sétimo e já na segunda volta tentou ultrapassar Massa para assumir o quinto lugar porque já havia deixado para trás Nelsinho Piquet, da Renault, ótimo quarto no final. “Eu freei tarde na curva 10 e passei um pouco da curva”, disse Massa para explicar o que se passou e também gerou enorme polêmica.

“O Hamilton colocou o carro por dentro, fizemos a curva juntos e ele me empurrou para a grama. Mas a outra curva era para a esquerda, o meu lado, e acabamos nos tocando”, descreveu. “Acabei levando um drive-through também, mas vi como um incidente de corrida”, falou Massa. A manobra de Massa, apesar de involuntária, fez Hamilton cair para o último lugar, o que gerou a punição criteriosa ao piloto da Ferrari, cumprida na 19ª volta, de um total de 67, uma depois de seu primeiro pit stop.

Massa caiu para a 14ª colocação. Mesmo com o tanque cheio até o limite, seu ritmo é elevado. Realiza várias ultrapassagens e na 53ª volta, quando faz a segunda parada, é o oitavo. Perde as posições para Nick Heidfeld, BMW, e Mark Webber, Red Bull, ambos na estratégia de apenas um pit stop, mas a seguir Massa passa a estabelecer tempos impressionantes na pista de 4.563 metros, como 1min18s426, o melhor da corrida, na 55ª volta. “Diante de tudo o que aconteceu, um ponto era o que queria, meu carro simplesmente voava, hoje”, falou o piloto.

Mas precisaria ultrapassar Heidfeld e Webber para voltar à oitava colocação. O alemão ficou para trás na 61ª volta e o australiano, na 64ª. Massa registra as sete primeiras melhores voltas do GP do Japão e consegue o ponto que tanto desejava. Horas depois da prova, recebe a notícia de que os comissários decidiram punir o francês Sebastien Bourdais, da Toro Rosso, sexto colocado, com o acréscimo de 25 segundos ao tempo de corrida. Na 50ª volta, Bourdais deixou os boxes depois do segundo pit stop e entrou na trajetória de Massa na primeira curva, provocando um choque e uma rodada do piloto da Ferrari. A decisão foi bastante questionada no paddock. Assim, Massa subiu para sétimo e somou 2 pontos.

“Não dá para sair daqui de cabeça-baixa, achando que foi um desastre, já que consegui recuperar alguma coisinha, somei pontos e o Hamilton não”, comentou Massa. E fez um pedido surpreendente à imprensa brasileira: “Vocês também vão ter de vestir a camiseta e mostrar força, como os jornalistas ingleses estão fazendo pelo piloto do país deles.” E como já havia adiantado, lembrou que lutará até o fim: “Daremos tudo de nós nas duas corridas finais, demonstramos enorme potencial para vencê-las, a questão é poder desfrutar dessa vantagem”, afirmou Massa.

2 comentários:

Anônimo disse...

seu blog está cada vez melhor. continue assim.

Lucas de Souza - Congonhas

José Gonçalves - Lafaiete disse...

A F1 tem que igualar as forças entres as equipes para assim termos uma disputa mais equilibrada. Você não acha?