segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Trapalhada vermelha...

Em uma corrida bastante tumultuada e com mais uma trapalhada da Ferrari no box, Fernando Alonso da Renault venceu o GP de Cingapura, a primeira corrida noturna e a de número 800 da F-1. Nico Rosberg da Williams foi o segundo, mas o grande vencedor da noite foi Lewis Hamilton da McLaren, que terminou em terceiro e ampliou sua liderança no campeonato.

Graças a uma trapalhada da Ferrari durante um reabastecimento, Felipe Massa completou a prova apenas na 13.ª posição e viu Hamilton abrir sete pontos de vantagem no campeonato (84 a 77).
A direção da Ferrari não divulgou o nome do mecânico responsável pelo erro, a fim de preservá-lo.
O retrospecto da equipe é, de fato, ruim nesta temporada: no GP da Austrália, quebrou o motor dos carros dos dois pilotos. Em Mônaco, os mecânicos instalaram os pneus na Ferrari de Raikkonen, no grid além do tempo permitido e o piloto teve de cumprir drive-through. Na etapa de Montreal o sistema de reabastecimento de Felipe Massa não funcionou, obrigando o piloto a regressar aos boxes e caiu para última posição.

No GP da França, o escapamento do motor de Raikkonen se rompeu e no GP da Grã-Bretanha não substituíram os pneus intermediários por outros novos dos dois pilotos no pit stop. Ambos mal ficavam na pista molhada e Massa acabou em último lugar. O motor de Massa quebrou na Hungria e em Valência foi a vez do motor de Raikkonen quebrar. Vale lembrar que na prova espanhola o Raikkonen arrancou com o sinal vermelho nos boxes e feriu um mecânico. No GP da Itália, em Monza, ocorreu outra troca de motor na Ferrari de Felipe Massa e neste GP, mais um erro na operação do semáforo, todos altamente comprometedores.
Os outros dois brasileiros também não tiveram vida fácil e não completaram a prova. Nelsinho Piquet (Renault) bateu e Rubens Barrichello (Honda) parou com uma pane.

Largada tranquila

Apesar da primeira curva apertada, a primeira passagem dos pilotos por ela foi tranqüila e os primeiros colocados praticamente se mantiveram nas mesmas posições do grid, com Massa em primeiro, Hamilton em segundo, Raikkonen em terceiro e Robert Kubica em quarto.

Após a largada, os ponteiros ditavam o ritmo e não houve mudança nas posições até a batida de Nelsinho Piquet, na volta 14, o que provocou a entrada do Safety Car.

Com a bandeira amarela e após a abertura dos boxes, Felipe Massa fez seu primeiro pit stop e foi aí que aconteceu o incidente que lhe tirou qualquer chance de vencer. Voltou em 17.º e foi obrigado a fazer uma corrida de recuperação e terminou na 13.ª posição.

Enquanto isso, lá na frente, Nico Rosberg (Willians) e Robert Kubica (BMW-Sauber), que lideravam, foram punidos por terem feito suas paradas com o box fechado.


E com as paradas de Jarno Trulli (Toyota) e Giancarlo Fisichella (Force India), até então primeiro e segundo colocados, respectivamente, o príncipe das Astúrias, Fernando Alonso, assumiu a liderança da corrida na volta 32 e ficou tranqüilo até a volta 50, quando uma nova batida, agora de Adrian Sutil (Force India), provocou novamente a entrada do Safety Car.

Na relargada, Hamilton, que era terceiro, encostou e passou a pressionar o segundo colocado, Nico Rosberg. O alemão resistiu bem e manteve a segunda posição, e a concentração, apesar dos quase 30°C.

Alonso conseguiu se distanciar após a bandeira verde, na volta 54, e seguiu tranqüilo para vencer sua 20ª corrida na carreira, a primeira desde o GP da Itália do ano passado, quando ainda pilotava pela McLaren. Esta também foi a primeira vitória da Renault desde o GP do Japão de 2006.

Como sempre, Fernando Alonso foi brilhante na sua primeira vitória na temporada.

Classificação final do GP de Cingapura ficou assim:

1.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), 1h57min13s304, 61 voltas
2.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), 2s957
3.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), 5s917
4.º - Timo Glock (ALE/Toyota), 8s155
5.º - Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso), 10s268
6.º - Nick Heidfeld (ALE/BMW), 11s101
7.º - David Coulthard (ESC/Red Bull), 16s387
8.º - Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 18s489
9.º - Jenson Button (ING/Honda), 19s885
10.º - Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), 26s902
11.º Robert Kubica (POL/BMW), 27s975
12.º - Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 29s432
13.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), 35s170
14.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), 43s571

Não completaram a prova:

Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 4 voltas
Jarno Trulli (ITA/Toyota), a 10 voltas
Adrian Sutil (ALE/Force India), a 11 voltas
Mark Webber (AUS/Red Bull), a 31 voltas
Rubens Barrichello (BRA/Honda), a 46 voltas
Nelsinho Piquet (BRA/Renault), a 47 voltas

Nenhum comentário: