terça-feira, 16 de setembro de 2008

No mesmo lugar, 20 anos depois…

Por Rafael Lopes

Berger comemora com Vettel a vitória no pódio do GP da Itália

Tenho certeza que o pódio do GP da Itália foi um momento emocionante. Não só pela vitória de Sebastian Vettel - que terá um futuro brilhante na Fórmula 1 - mas pela presença de Gerhard Berger no pódio. Após três anos de trabalho duro, finalmente ele colheu os frutos da aposta que fez ao ser sócio da STR. A vitória do alemão o levou de volta à posição em que esteve por dez vezes em sua carreira: o topo.

Confesso que Berger foi um dos meus heróis de infância. Admirava seu estilo arrojado e às vezes meio inconseqüente, principalmente em seu início de carreira. Lembro, em especial, daquele GP da Itália de 1988, que ele venceu, de Ferrari, menos de um mês após a morte do comendador Enzo Ferrari. Ayrton Senna, que liderava a corrida, se estranhou com o retardatário Jean-Louis Schlesser na antiga Variante del Rettifiglio e ficou fora da prova, preso na zebra.

Algum tempo depois, pude acompanhar os bastidores daquela corrida no vídeo de resumo da temporada, que eram vendidos aqui no Brasil com narração do Reginaldo Leme (quem não lembra?). E foi muito legal ver a emoção de Berger na entrevista coletiva. Eis que, 20 anos depois, no mesmo circuito e com um motor Ferrari, ele chefiou o piloto que repetiu a sua inesperada façanha, assim como em 1988.

O trabalho de Gerhard Berger, que já é vencedor, pode gerar ainda mais frutos no futuro. Afinal, levar uma equipe (a antiga Minardi) das últimas posições ao topo do pódio não é fácil. Mesmo com o incentivo financeiro de um patrocinador forte, é uma tarefa árdua (vide o exemplo da Toyota). Por isso, esse austríaco merece ainda mais aplausos. Grandissimo, Berger, grandissimo
!

Berger vence na Itália em 1988

Um comentário:

Gustavo / BH disse...

Parabéns pelo blog... muito legal...