segunda-feira, 25 de agosto de 2008

A volta por cima, na beira do Mediterrâneo

Por Rodrigo Mattar

Vou abusar de franqueza: o GP da Europa, na nova pista de rua de Valência, foi chatíssimo, de dar sono. Mas teve lá as suas compensações, especialmente para Felipe Massa. Após a desilusão vivida na Hungria, quando o motor de sua Ferrari estourou sem aviso, o brasileiro foi soberano à beira do Mar Mediterrâneo. Fez a pole, liderou praticamente de ponta a ponta e venceu sua quarta corrida no ano.

Os 10 pontos da vitória foram importantes pois, além do triunfo - o nono da carreira, igualando Rubens Barrichello, Massa ultrapassou Räikkönen na classificação do Mundial de Pilotos. Tudo porque, desta vez, foi o motor do carro do finlandês que explodiu. Quero ver o que vão dizer aqueles que acreditavam em “teoria da conspiração” contra o brasileiro…

Lewis Hamilton fez o suficiente para chegar em segundo e assegurar mais oito pontos. Com 70 somados, ele tem vantagem de seis para Felipe e 13 sobre Kimi, o que nesta altura do campeonato é considerável - mas se lembrarmos do ano passado, não representa tanto assim.

Enfim, numa corrida onde só aconteceram três ultrapassagens na pista, nenhuma entrada do Safety Car e dois pequenos acidentes - um deles tirando de combate o ídolo local Fernando Alonso ainda na primeira volta - na pista e outras duas ocorrências nos boxes - a mais grave delas quando um mecânico da Ferrari foi atropelado por Räikkönen, destaca-se também o pódio de Robert Kubica com a BMW; a boa performance da Toyota, de novo nos pontos com Trulli em quinto e Glock em sétimo; o excelente Sebastian Vettel cravando três pontinhos com a STR e, alvíssaras, a Williams na zona de pontuação com Nico Rosberg.

A corrida perfeita de Massa só teve um pequeno senão: quando foi liberado pela equipe após o segundo pit, o brasileiro quase colheu a Force India de Adrian Sutil, que vinha na pista de rolamento, saindo dos boxes. A alegação foi que os mecânicos não viram o carro do alemão e Massa teve que deixá-lo sair à sua frente. O piloto foi multado em 10 mil euros.

Nelson Ângelo Piquet conseguiu terminar a prova, a duras penas, em 11º e último dos que completaram as 57 voltas do vencedor. Rubens Barrichello, que largou dos boxes, também chegou ao final carregando o Honda, com insolúveis problemas de freio, até o décimo-sexto lugar.

Nenhum comentário: